O título foi escrito a quente, mas a crónica foi escrita a frio e já com a derrota bem digerida!

É um “p… que pariu” que pode ser entendido de várias formas: podem vê-lo como crítica pela falta de empenho defensivo durante 3 períodos ou podem vê-lo como forma de desabafo por ver António Monteiro (do Imortal) fazer um dos melhores jogos da carreira ou ver Tanner Omlid (na foto) a fazer triplos em queda para trás, qual Michael Jordan nos seus famosos movimentos de post up a 45 graus do cesto! Cada um interpretará como quiser!

O Sporting entrava para este jogo com 4 derrotas nos 5 jogos anteriores, sendo que a única vitória nesses 5 jogos tinha sido precisamente frente ao Imortal, na meia final da Taça Hugo dos Santos. Se dúvidas houvesse, nesse jogo recebemos um aviso para o que daí poderia vir. Juntem a tudo isto o cansaço acumulado de vários jogos durante 2 semanas e as lesões de Fields e Cândido Sá que nos limitavam fortemente o jogo interior.

 

Queres continuar a ler? Passa aqui na Tasca do Cherba!