Frankis Carol Marzo e Ángel Dennis Diaz.

Estes são os nomes dos 2 cubanos que, durante 3 épocas, conviveram no Pavilhão João Rocha. O que têm em comum para além do país onde nasceram? São dois atletas de excepção, dois jogadores de altíssima qualidade, dois profissionais dedicados à sua profissão! Ambos já saíram do Sporting, mas o Sporting não saiu deles!

 

Frankis Carol Marzo

 

 

Corria a época de 2011/2012, mais concretamente Janeiro de 2012, quando chega a Alvalade Yailan Hechavarria. Sim, o alvo do Sporting era um lateral canhoto cubano de nome Yalian Hechavarria; Frankis acabou por vir como um “extra”! A sua chegada está envolta num boato curioso que nunca se conseguiu confirmar: diz-se que Frankis, para sair de Cuba, teve que dizer que iria contrair matrimónio em Portugal, coisa que nunca veio a acontecer! Não passa de um boato, mas não deixa de ser engraçado e tem até a sua lógica, pois, como é sabido, existiam/existem imensas dificuldades para os cidadãos cubanos abandonarem o seu país. Outra curiosidade foi revelada por Frankis à Sporting TV, aquando da sua entrevista de despedida: antes de chegar ao Sporting, Frankis esteve 2 anos sem competir. Andava farto do Andebol, disse ele. Dois anos sem competir…

A sua estreia é feita na Taça de Portugal, frente ao Águas Santas. O Sporting encontrava-se a perder e Branislav Pokrajac decide levar a jogo um franzino Frankis Carol Marzo.

 

Frankis em 2012 frente ao F.C. Porto

 

Frankis impressiona desde logo tudo e todos e termina esse mesmo jogo com 8 golos marcados! O Sporting venceu por 24-21, numa caminhada que levou a equipa a vencer essa mesma Taça de Portugal frente ao FC Porto de Obradovic, que tinha jogadores como Quintana, Daymaro Salina, Tiago Rocha, Gilberto Duarte, Wylson Davies, Ricardo Costa, entre outros. O resto? O resto é história.

Desde 2011 até 2021, Frankis tornou-se numa referência do andebol do Sporting; estranho é que, nesta última década, quando se pensa em andebol do Sporting, não se pense imediatamente em Frankis, apesar de ter sido uma peça fundamental na conquista da Taça Challenge de 2016/1017 e no bi-campeonato de 2016-2018.

A primeira vez que Frankis chegou aos dois dígitos em termos de golos marcados num jogo foi no dia 24 de Agosto de 2013, no jogo que abria precisamente a época de 2013/2014 – a Supertaça frente ao FC Porto! A vitória sorriu-nos nesse jogo por 33-32, após prolongamento. Frankis fez 10 golos. Desde então, em todas as épocas, Frankis chegava pelo menos uma vez aos 10 ou mais golos, sendo que a época de 2015/2016 foi a sua melhor em termos de média de golos: 201 golos em 35 jogos, permitiram-lhe terminar essa mesma época com uma média de 5,74 golos por jogo. Nessa mesma temporada, fez o seu máximo de carreira com a camisola do leão rampante – 14 golos frente ao ABC!
Desde então, foram vários os jogos memoráveis, como aquele em Presov, para a EHF Champions League de 2018/2019, onde, numa arena lotada e frente a um forte Tatran Presov, fez 10 golos em 11 remates!

 

 

Um jogo quase perfeito que lhe permitiu fazer parte do 7 ideal da jornada para a EHF, numa época histórica em termos europeus, com o Sporting a conseguir chegar aos Oitavos de Final da Champions League, caindo apenas aos pés dos todos poderosos húngaros do Veszprém Telekom.
Nessa caminhada, fica também este golo fantástico na 2ª mão dos 16 avos de final, numa arena em Bucareste completamente lotada, com o jogo empatado e a aproximar-se do final.

 

 

Quis o destino que Frankis marcasse no seu último jogo pelo Sporting o mesmo número de golos que na sua estreia – 8! Um número cheio de misticismo e que, quando deitado, se torna o símbolo do infinito!

Forte remate, boa impulsão, fartos recursos técnicos, qualidade de passe e leitura de jogo, polivalência e uma forte capacidade atlética permitiam que Frankis defendesse com a mesma qualidade com que atacava. Um atleta de eleição!
Recentemente, Thierry Anti, conceituado treinador francês que passou recentemente pelo clube de Alvalade, disse que tinha sido o jogador mais incrível que tinha treinado na sua carreira!

 

 

Estamos a falar de um treinador que treinou PSG e Nantes, por exemplo, e com quem disputou uma final da EHF Champions League…

Recentemente, Frankis foi eleito o melhor marcador do Mundial de 2021, que se realizou no Egipto, com 58 golos marcados em 96 remates (uma eficácia de 60%) e sem ter marcado qualquer livre de 7 metros! Frankis terminou esse Mundial também no top 5 de jogadores com mais roubos de bola. Em 2018, o cubano naturalizado qatari, já se tinha destacado como melhor jogador da Taça da Ásia (numa competição ganha pelo Qatar), tendo sido igualmente um dos melhores marcadores dessa competição.

Para termos noção da importância de Frankis no andebol do Sporting, provavelmente teríamos que recuar ao tempo dos 7 magníficos, célebre equipa de andebol que, durante as décadas de sessenta e setenta, dominaram o andebol nacional e onde pontificava Manuel Brito, que se manteve no clube durante cerca de 30 anos (20 como atleta e 10 como treinador), tendo conquistado 10 campeonatos (enquanto sénior) e 5 Taças de Portugal…

 

Os Sete Magníficos

 

Outros nomes que saltam logo à memória são os nomes de Bessone Basto (que dispensa apresentações). de Carlos Silva, um monstro entre os postes da baliza leonina durante 19 anos (entre finais dos anos 70 e princípio dos anos 90), tendo conquistado 8 títulos e 7 Taças de Portugal, ou até de Ricarado Andorinho!
Provavelmente, quem estiver a ler isto, lembrar-se-á até de outros nomes!

Se considerarmos o andebol nacional, Frankis encaixaria facilmente como um dos melhores estrangeiros que por cá passou, tendo o seu lugar no panteão nacional do andebol, e se o compararmos com os seus colegas de posição, o cubano conseguiria fazer frente a nomes como Carlos Resende e Eduardo Filipe, só para citar alguns “bombardeiros”.

Frankis deixa o clube a caminho do Al-Arabi do Qatar com um impressionante registo de 1621 golos em 392 jogos (média de 4,1 golos por jogo) e 7 títulos conquistados de leão ao peito, distribuídos por 1 Taça Challenge, 2 Campeonatos Nacionais, 3 Taças de Portugal e 1 Supertaça!

Na sua despedida, Frankis disse que saía daqui como um leão! O andebol do Sporting continuará, mas é, e continuará a ser, estranho ver o Sporting a entrar em campo e o Frankis não estar lá!

 

 

Ángel Dennis Diaz

 

 

A carreira mundial de Dennis começou em 1998, quando uma jovem selecção de Cuba espantou o mundo do voleibol ao vencer a Liga Mundial desse ano, disputada em Milão. O jovem oposto cubano chamou a atenção e assinou pelo Palermo, onde jogou até ao ano 2000. Dennis abandonaria a sua selecção e o seu país, quando, no ano de 2001 num treino com a sua selecção na Bélgica e com a ajuda de um jogador espanhol, fugiu para Itália, pedindo asilo político. Ficou 2 anos sem jogar, fruto de questões burocráticas, mesmo tendo contrato com o Volley Latina. Continuou, depois, a carreira em Itália, Qatar, Bolívia, Argentina, Brasil, Irão, Líbano e Portugal!

 

Apesar da “deserção”, Dennis é um orgulhoso Cubano

 

Venceu títulos por onde passou: venceu o campeonato em Itália (1), Qatar (1), Líbano (1), Irão (1), Brasil (3 Estaduais); 3 Taças CEV, 1 Taça CEV Challenge e 1 Supertaça Europeia. Estes são apenas alguns destaques, onde faltam, por exemplo, os troféus com a selecção cubana (entre 1997 e 2001) e outras taças nacionais. Individualmente, foi, por exemplo, o MVP da Liga Italiana na época de 2006/2007, sendo que, até ao ano de 2018, ainda era o melhor pontuador de sempre numa época do campeonato italiano (considerado por muitos como o melhor campeonato do mundo), um recorde obtido em 2009 com a equipa do Modena, com um total de 588 pontos numa só época!

Na época de 2017/2018, o Sporting faz regressar o voleibol masculino. A equipa começou a ser montada com dois históricos da modalidade: Miguel Maia, de 47 anos, e Ángel Dennis, de 41 anos!

Dennis chega ao Sporting com inúmeros troféus e muita bagagem!

Após a vitória no Troféu da Vindimas (ainda na pré-época) frente ao Benfica, quis o destino que a primeira jornada do campeonato desse ano fosse precisamente frente ao velho rival, no Pavilhão João Rocha. O resultado? Uma vitória do Sporting por 3-1, com 16 pontos do Dennis.
Nessa época, Dennis acabou por participar em 33 jogos e conseguiu 409 pontos, o que perfaz uma média de 12,39 pontos por jogo. Pelo meio, o cubano deu-nos alguns jogos memoráveis… No dia 6 de Janeiro de 2018, no Pavilhão da Luz, o Sporting venceu por 3-2 (no 1º jogo da segunda volta), com 29 (!) pontos de Dennis. Se pensam que marcar 29 pontos foi caso isolado, desenganem-se! Dennis voltaria a atingir a marca dos 29 pontos mais 2 vezes: no dia 2 de Março de 2019, no Pavilhão João Rocha frente à Fonte do Bastardo (numa vitória por 3-2) e, novamente no dia 24 de Novembro de 2019, frente à equipa da Académica de São Mamede (numa vitória por 3-1). Impressionante para quem já tinha mais de 40 anos! Contra o Penzugyor, nos quartos de final da Taça CEV Challenge, na época de 2019/2020, Dennis fez um total de 39 pontos na eliminatória (20+19), ajudando a qualificar o Sporting para as meias-finais (que acabaram por não se disputar, pois surgiu no mundo a pandemia da SARS-COV2). Na sua última época no Sporting, Dennis conseguiu fazer 8 jogos com 20 ou mais pontos!
Já agora, o seu recorde de pontos num só jogo em Portugal foi de 31! A sua vítima? O Sp. de Espinho, no 2º jogo das meias-finais do campeonato nacional da época de 2018/2019.

Não é estranho este tipo de pontuações elevadas conseguidas por opostos, afinal de contas o oposto tornou-se no principal pontuador no voleibol mundial. O estranho é alguém com mais de 40 anos conseguir fazê-lo com alguma regularidade, jogando praticamente todos os jogos da época e os minutos quase todos, num campeonato como o português (onde até existe alguma qualidade).
Como se consegue? Só sendo um profissional que leva a sua profissão muito a sério. Treinando e cuidando do seu corpo, descansando, alimentando-se correctamente e tendo a felicidade de não ter lesões graves.

 

Dennis a levantar 220 kilos (200 kg em pesos mais 20 kg da barra)

 

 

Em Dezembro de 2017, o Sporting reforça a sua equipa com Liberman Agaméz, um possante oposto colombiano que detinha, na altura, o recorde mundial de mais pontos num jogo (55)! Agaméz assume a titularidade e Dennis começa a jogar cada vez menos. Contudo, quando chegou o jogo 5 das finais frente ao Benfica, Agaméz lesionou-se e Dennis foi forçado a ir a jogo. O Sporting venceu a negra, sagrou-se campeão 24 anos depois e Dennis terminou o jogo com 23 pontos, sendo dele o último “spike” que encerrou o 5º set, a partida e o campeonato. Recordem agora esses momentos…

 

 

Conhecido pelo seu gesto técnico de serviço completamente invulgar, Dennis teve em 2011, quando jogava no Modena, em Itália, um momento verdadeiramente memorável: no terceiro set do segundo jogo das meias-finais do playoff do campeonato italiano, Dennis conseguiu a proeza de estar a servir 11 vezes seguidas! Durante essas 11 vezes, conseguiu 7 ases, 4 deles seguidos e nem dois tempos técnicos pedidos pelo treinador adversário, no meio desta série, o abrandou! Para quem não conhecia este momento, pode vê-lo no vídeo seguinte.

 

 

Dono de uma técnica perfeita de remate (como podemos ver na foto inicial), com um arquear de costas que lhe permite colocar o peso do seu corpo na “pancada”, quer de primeira, quer de segunda linha, Dennis era também conhecido pelos seus mortíferos amorties.

Três épocas no Sporting renderam a Dennis e ao clube 1261 pontos em 108 jogos, o que perfaz uma média de 11,67 pontos por jogo. Nada mau…

O voleibol é uma modalidade com poucos anos no historial do Sporting, fruto de dois longos interregnos (entre 1965 e 1981 e entre 1995 e 2017). Para além do nome incontornável de Miguel Maia e essa equipa dos anos 90, o cubano tem em Florov um rival para a posição de oposto na história dos melhores voleibolistas no clube de Alvalade!
Durante a época de 2018/2019, outro cubano passou também pelo João Rocha, outro jogador com história no voleibol mundial e de Cuba, embora não tenha tido no Sporting a mesma influência que Dennis. Falo de Leonel Marshall, que vestiu a camisola verde e branca durante apenas uma época.

Dennis deixa o Sporting a caminho do Macerata de Itália e, tal como Frankis, deixa-o como sportinguista. A sua filha Elena era presença assídua na bancada, equipada a rigor, convivendo com os adeptos e puxando fervorosamente pelo clube que aprendeu a amar!

Para terminar, deixo-vos uma pequena curiosidade: em 1997, a selecção cubana terminou a Liga Mundial de voleibol em 2º lugar (venceu-a em 1998) e Dennis foi utilizado como líbero (posição que foi introduzida nesse ano)!

 

 

Em 1998, quando Cuba venceu a Liga Mundial, Dennis tinha já um papel de maior destaque na manobra ofensiva da equipa!
Recentemente, o site Volleyball Mob (podem ver aqui) fez uma selecção dos melhores jogadores cubanos de sempre e Dennis consta da equipa titular precisamente como líbero! Leonel Marshall também consta dessa equipa, mas como suplente.

Durante os 3 anos em que Frankis e Dennis conviveram “juntos” no Pavilhão João Rocha, outro cubano também se destacava com a camisola verde e branca vestida – Pedro Enrique Vetía Valdés.
Pedro ainda continua de verde e branco e está a trilhar o seu caminho, tendo cada vez mais influência no andebol do Sporting e merecerá um artigo próprio no futuro!

 

Frankis, Dennis e Valdés