Sabe tudo o que espera à equipa de futsal do Sporting a partir desta sexta-feira? A competição já começou, mas os leões têm estreia marcada para hoje, em Sines. Venha daí connosco e fique a par de todos os pontos verdes e brancos

Chegou o dia. Hoje, dia 26 de março de 2021, pelas 18h00, o Pavilhão Municipal de Sines recebe o primeiro jogo do Sporting na final-eight da Taça da Liga Placard de Futsal. Nestes quartos de final, os pupilos de Nuno Dias encontram o Portimonense de Pedro Moreira, equipa com quem disputaram a recente 27.ª jornada da Liga Placard, na qual golearam por 10-0.

Não nos vamos prender a este resultado. A Taça da Liga acaba por ser uma prova com moldes bastante diferentes, porque todos sabemos que um mata-mata tem mais responsabilidade, exige maiores níveis de concentração e a possibilidade de acontecerem ‘surpresas’ aumenta. O Portimonense encontra-se a fazer uma das suas melhores temporadas no campeonato, sendo assim brindados com a sua primeira presença nesta competição, certamente histórica terminando no lugar que for.

 

Conheça o possível caminho dos leões na prova

Como já referimos, o jogo desta sexta-feira conta para os quartos de final. Em caso de vitória frente aos algarvios, o Sporting defronta, sábado (27 de março), o Fundão, que ultrapassou o Eléctrico, por 4-2, depois de uma partida muito consistente dos homens de João Nuno Ribeiro.

Quanto a uma possível chegada à final, as opções são outras tantas. Depois do embate do Sporting, joga-se o Leões de Porto Salvo-Benfica, sendo que o vencedor desse encontro encontrará, nas ‘meias’, o segundo semifinalista: o Módicus, que triunfou frente ao Viseu 2001, por 5-3. Ou seja, as opções da final apontam as seguintes possibilidades (para já): Benfica, Módicus ou Leões de Porto Salvo. Teoricamente, espera-se um dérbi para encerrar a prova, mas o tempo dirá.

 

Histórico de duelos entre Sporting e Portimonense

Por quatro ocasiões, tivemos duelos entre os leões e alvinegros, isto porque os algarvios só em 2019/2020 chegaram à elite do futsal português.

Em quatro duelos, todos na Liga Placard, o Sporting ganhou sempre, em todos eles marcou mais de cinco golos, e só por uma vez sofreu. No primeiro encontro, que marcou a estreia do Portimonense na primeira divisão, os leões venceram por 8-0, num jogo a contar para a 1.ª jornada. Na partida seguinte, a contar para a 14.ª ronda, viu-se o único duelo equilibrado entre as duas equipas, mas o Sporting levou a melhor por 5-7. Seguiram-se as vitórias desta época, por 6-0 e 10-0.

No confronto nestes quatro jogos, o Sporting tem um total de 31 golos marcados e de apenas cinco sofridos.

Alex Merlim foi quem mais marcou nos confrontos entre as duas equipas, com um total de seis golos em quatro jogos, seguido de Cavinato e Rocha, ambos com cinco golos.

Do lado do Portimonense, todos os jogadores que marcaram no único duelo com golos para o lado dos algarvios estão no plantel, sendo que desses se destaca o Filipinho, o capitão, que leva dois golos nestes quatro duelos.

No total, os verdes e brancos levam uma média de 7,75 golos por jogo, enquanto o Portimonense leva uma média de 1,25 golos por partida.

 

O que dizem os místers?

Passemos, também, à mensagem que cada treinador quis transmitir antes da partida. A menção ao jogo anterior, que o Sporting venceu por 10-0, acabou por vir à baila com Nuno Dias, que desvalorizou por completo o resultado.

“Olhando a qualidade do plantel, são talvez o terceiro melhor da Liga”

O treinador do Sporting começou mesmo por elogiar a equipa algarvia: “Criaram-nos dificuldades no início, mas os golos que marcámos e a eficácia que tivemos na concretização facilitaram o que restava. Depois animicamente baixaram muito com o decorrer do jogo, mas têm bons jogadores. Olhando a qualidade e quantidade do plantel, atrevo-me a dizer que, a seguir ao Sporting e ao Benfica, em termos de pés dominantes, posições dos jogadores e a diversidade que têm, são talvez o terceiro melhor da Liga”.

Além disso, o técnico verde e branco fez questão de sublinhar que os leões, neste momento, apenas pensam neste jogo e não no futuro da prova. “O Sporting tem de estar a um grande nível para ultrapassar os quartos de final. Conquistar a Taça da Liga é um objetivo, mas não chegamos às meias-finais sem vencer este jogo. Vamos pensar num encontro de cada vez, primeiro o Portimonense, e depois o resto se chegarmos lá”.

“Vamos jogar de igual para igual e acreditar que é possível”

Já no caso de Pedro Moreira, o treinador dos homens de Portimão começou por lembrar a importância da participação nesta prova: “Esta é a primeira vez para o Portimonense, na Taça da Liga, fruto do grande campeonato que estamos a realizar e da boa primeira volta do Portimonense”.

Tal como os leões, também os algarvios esperam “jogo bastante difícil, numa prova diferente. É um jogo a eliminar em campo neutro e viemos duma derrota pesada contra o mesmo adversário. Queremos acreditar e mostrar que devemos e podemos fazer melhor sabendo que a concentração, o compromisso, eficácia e tomada de decisão serão determinantes no desfecho do resultado final”, referiu.

Para terminar, Pedro Moreira foi bastante perentório: “Vamos jogar de igual para igual e acreditar que é possível, ainda o ano passado na mesma prova o Sporting foi eliminado nesta primeira eliminatória pelo Eléctrico”, comentou, lembrando que pequenas surpresas acontecem nas Taças.

 

Frente a frente

Nesta antevisão optámos ainda por colocar frente a frente três jogadores de cada formação. Pelo Sporting: João Matos, Alex Merlim e Cavinato; e pelo Portimonense: Filipinho, Divanei e Júnior.

 

 

  • Os senhores capitães

Comecemos pelos dois capitães deste encontro. De um lado, a experiência, do outro, a juventude. São oito os anos que diferem João Matos e Filipinho, os homens que levam as braçadeiras dos leões e algarvios.

De um lado, temos o número 9 dos verdes e branco que realizou, na última partida, o seu jogo 600 de leão rampante ao peito. Todos os amantes de futsal sabem da raça e atitude que o ‘Samurai’ dá à equipa, além de a comandar dentro e fora da quadra. O fixo leonino, aos 34 anos, encontra-se na 16.ª época na Liga Placard e, por sua vez, no Sporting.

São muitos os troféus levantados, mas esta época tem-se destacado por outro pormenor. Qual? Os golos. João Matos pode fazer desta a sua melhor temporada a nível de tentos assinalados, uma vez que já segue com 12 e, a sua melhor marca a superar, é de 15 golos, em 2017/2018.

Do outro lado, encontramos Filipinho, com 26 anos. O ala do Portimonense chegou ao clube para integrar o plantel de juniores, em 2011/2012, tendo-se estreado logo em 2013/2014 na equipa principal – onde realizou apenas um jogo, sendo posteriormente emprestado ao Quarteirense. Depois, logo na época seguinte (2014/2015), regressou a Portimão e começou a assentar o seu lugar. Após três épocas, Filipinho foi passar pouco mais de uma estadia à Burinhosa, tendo voltado a 2018/2019 e estabilizado até agora.

Mais novo, com maior irreverência, mas com o pé menos quente que João Matos – pelo menos esta temporada, até porque o seu máximo dos seus golos marcados pelo Portimonense é exatamente igual ao Samurai (15).

Teremos um teste entre a irreverência e a experiência neste encontro que capitães, mas também de saber como e quando controlarem as suas equipas.

 

 

  • Os cérebros

Em qualquer formação, seja de futsal ou de qualquer outro desporto, é importante que os plantéis sintam que existe alguém que controla o jogo também a nível mental, de movimentações e que conhece perfeitamente cada um dos seus companheiros ao ponto de saber o que cada um vai fazer antes de o mesmo pensar sequer nisso. Aqui, colocamos frente a frente Alex Merlim e Divanei.

No que toca a Babalu, ou ‘Mago’, estamos a falar do rei das assistências na Liga Placard. São o total de 31 (!), além de ter participado em 55 dos 184 golos do Sporting nesta época. Os registos apontam para, possivelmente, uma das melhores épocas da carreira de Merlim. Não só pelos números, mas muito por aquilo que o ítalo-brasileiro mostra na quadra. Não é por acaso que o ala está na lista de melhores jogadores do mundo, a sua influência dentro das quatro linhas acaba por tocar todos os atletas, já para não falar do facto de os adversários nunca saberem o que pode vir a ‘sair’ do pé – ou do pensamento – de Merlim.

Pelo Portimonense destacamos Divanei. Acaba por ser curioso, porque não só jogou no Sporting, como foi companheiro de Merlim. ‘Diva’, carinhosamente apelidado, regressou a Portugal depois de alguns tempos difíceis a nível físico e até mental, acabando por chegar ao Portimonense em 2019/2020, época em que acabou por não fazer aquilo que queria. Agora, em 2020/2021, o ala de 36 anos é um dos maiores destaques da equipa de Pedro Moreira. Os números não são avolumados como os de Merlim – 10 golos e 4 assistências -, mas a verdade é que o brasileiro continua a ser um dos elementos que mais desequilibra, mais cria e mais assume, já para não falar da larga experiência que dá à equipa.

Um duelo de conhecidos, no qual acabamos por dar favoritismo a Merlim e às tremendas exibições das quais tem sido protagonista. Aliás, no último encontro, frente ao Portimonense, o atleta verde e branco fez o seu primeiro poker pelos leões, mostrando que não são só assistências. Comparando-o a Divanei, podemos acrescentar que a sua técnica não passa de moda, ainda que, por vezes, a sua equipa se mostre curta para a qualidade que vem a demonstrar (e que sempre demonstrou).

 

 

  • Só faltam os ‘Matadores’…

Não poderíamos deixar de lado aqueles que consideramos os homens-golo de cada formação. De um lado, um ala: Cavinato; do outro, um pivô: Júnior.

Comecemos pelo melhor marcador da Liga Placard até ao momento. Cavinato leva, em 27 jornadas, 31 golos, além de mais um marcado noutra competição. Será que o número aumenta esta sexta-feira? A verdade é que na goleada leonina frente aos algarvios, o ítalo-brasileiro terminou em branco. A ausência de Cardinal, por lesão, deu maior mote ao número 17 dos leões. É ala, mas comparativamente a Rocha, pivô, que leva um total de 18 tentos assinalados, sai muito por cima. Enquanto o esquerdino já vai com 35 anos (seis no Sporting), colocamo-lo frente a frente com um dos jovens revelação do campeonato.

Júnior começou a época no Quinta dos Lombos, mas acabou por rumar a Portimão onde se continua a destacar. Com apenas 22 anos, o pivô tem vindo a chamar à atenção dos tubarões da Liga Placard. Ainda com o futuro incerto, temos, por outro lado, algo certo: este jovem adora marcar. Se juntarmos os seus golos nos Lombos e no Portimonense, que perfazem a sua época até ao dia de hoje, podemos chegar a um total de 23 golos em 22 jogos. O número 14 dos comandados de Pedro Moreira tem a vantagem sobre os adversários de ser bastante rápido e, mais que isso, imprevisível. Não é por acaso que no empate entre Portimonense e Benfica, Júnior acabou por bisar, ultrapassando a defesa encarnada.

Dois jogadores completamente diferentes, mas ambos com faro para o golo. Perigosos, mas distintos, um mais clássico, outro mais irreverente. Vejamos quem marca mais nesta final-eight e, aí, saberemos o vencedor deste duelo.  

 

Texto por: José Andrade e Maria Pinto Jorge