Para esta semana, uma nova modalidade. Estamos na semana de andebol feminino aqui no Modalidades com Voz e por isso nada melhor que falar do Campeonato nacional.  Vamos perceber que existe muita qualidade, muitos talentos e que nem a pandemia e todos os respetivos problemas foram capazes de baixar o nível da nossa liga.

É preciso perceber que a pandemia afetou o Liga de andebol feminino mais do que qualquer outra competição, foram muitos jogos adiados, foi muito tempo sem jogos e obviamente que as equipas se foram ressentindo muito do tempo de paragem, dos adiamentos e com isso seguiram-se vários problemas. Mas venho aqui para falar do ponto de situação do campeonato e falar de alguns do imensos talentos da nossa 1ª Divisão.

Campeonato 1ª Divisão 

Nesta altura estamos na jornada 12, várias equipas ainda com alguns jogos em atraso e o Alavarium lidera com 39 pontos mais 3 que o SL Benfica. Falando do Alavarium falamos de uma equipa que se confunde com o próprio andebol, é uma instituição histórica. No caso do SL Benfica, falamos de uma equipa em crescimento e que este ano sim, já a comprovar mais o poderio do clube, depois o ABC que se segue na terceira posição, uma clube que dispensa apresentações no nosso andebol. Depois o Maiastars em quarto e para fechar o top5 o Madeira SAD. Vou apresentar e dar a conhecer alguns dos talentos da nossa Liga.

Falando um pouco das várias equipas. As aveirenses do Alavarium, como sempre contam com muita juventude, muitas jovens com muita qualidade e que se vão afirmando em seniores. Falamos de uma equipa que conta com a ponta-direita a Bianca Falcão, uma jogadora que é das mais experientes da equipa, uma jogadora que se destacou no andebol do Guarulhos. Depois dentro das mais experientes temos que destacar a Pivot, a Shayene Oliveira, mais um jogadora canarinha que é muito importante na equipa. Dentro deste Alavarium temos que destacar a Ana Simões, uma jovem ponta que tivemos a honra de poder ler aqui no Modalidades com voz (ler aqui), mas é uma equipa que conta com a Soraia Fernandes, uma das melhores jogadoras da nossa liga, uma Pivot que este ano já leva 23 golos e tem sido novamente um dos principais elementos do Alavarium. Várias jogadoras para destacar neste Alavarium, uma equipa de muita qualidade, mas eu destaco uma das melhores jogadoras portuguesas, a lateral-esquerda e minha conterrânea, a Carolina Justino, já leva 41 golos marcados este ano e vai se afirmando cada vez mais como uma das melhores jogadoras portuguesas.

Passando para o SL Benfica onde se vão destacando Ryoko Amitani, a guardiã nipônica, que tem sido uma das maiores figuras das encarnadas. Destacar a Pivot de muita qualidade, a Adriana Lage, uma jogadora que já foi internacional Portuguesa por duas vezes e que esta temporada já leva 28 golos. Temos que destacar sempre, Rute Fernandes, sempre uma jogadora em evidência, a lateral-direita esta temporada já leva 71 golos, só por isto dispensa apresentações, mas é uma jogadora que voltou a evoluir muito no seu jogo. Ainda na equipa encarnada temos que destacar a central, a Cláudia Correia, sempre uma criativa em destaque neste SL Benfica.

Passando para o ABC, falamos de uma que este ano tem tido alguns problemas na defesa, mas que conta com várias jogadoras em destaque, sendo que são uma equipa que apenas uma jogadora tem 25 ou+ anos. Dentro desta juventude toda, temos que destacar elementos como a Maria Costa, uma guarda-redes de apenas 16 anos, depois ainda a central magica, a Rita Vieira e por fim ainda vários elementos como a Inês Laranjeira, a Marta Carvalho de apenas 16 anos e que já vai somando cada vez mais tempo de jogo e ainda as Pivots, a Inês Duarte e a Francisca Araújo.

Saltamos para a Maia, para falar de uma equipa que já conta com jogadoras de outras nacionalidades, falamos de jogadoras como a guardiã russa, a Valeeria Golerova, uma jogadora que se destaca sempre, é uma guarda-redes de muita qualidade. Falamos ainda da central argelina, a Souad Feraoune, que já leva 70 golos e que vai apresentando o melhor nível desde que chegou a Portugal. Nas Pivots temos que destacar sempre a Dulce Oliveira, uma das jogadoras mais carismáticas do andebol nacional e ainda a francesa Eloise Desile. Na equipa da Maia temos que destacar sempre a Maria Cerqueira, tem apenas 26 anos mas já são tantos anos a mostrar qualidade que parece uma veterana, mas é uma jogadora que garante sempre espetacularidade a cada jogo. Por fim Ana Silva, deixei para o fim, porque é a melhor marcadora nesta altura, leva 111 golos nesta temporada!!

Para fechar o Top5, falamos do Madeira SAD, uma equipa que tal como o CS Madeira, é uma das que ainda só jogou 10 partidas, a pandemia tem sido ainda mais complicada para as equipas madeirenses. Agora falando de jogadoras em destaque nas madeirenses, existem várias ou não fossem uma das melhores equipas e uma das maiores candidatas a vencer o título. Nas jogadoras, a croata Petra Dicak ou a Pivot brasileira Lívia Ventura são grandes destaques, mas olhando para o talento nacional temos que realçar a Mariana Azevedo, uma central de apenas 22 anos mas que espalha classe a cada jogo, ainda a Luana Jesus e a Neide Duarte, que tomam conta das pontas da equipa madeirense, no caso da Luana falamos de uma jogadora de apenas 17 anos e que se tem destacado muito, já são 37 golos esta temporada.

Não conseguimos falar de todas as jogadoras em destaque, mas temos que destacar muito a Constança Sequeira, uma jovem lateral que se vai destacando no ND Santa Joana, equipa da Mister Ana Carvalho que tivemos a honra de ter aqui no Modalidades com Voz (ler aqui). Além da Constança, temos que falar da Helena Soares, Pivot do Colégio de Gaia, sempre uma das melhores Pivots da nossa Liga, ainda a Nádia Barros, uma central incontornável do Assomada, ainda a Neuza Valente do SIR 1º Maio, ainda a Sara Brás do ARC Alpendorada, a Maria Coelho do ADA S. Pedro do Sul,  a Catarina Oliveira do CA Leça e a Cláudia Aguiar do CS Madeira.

Muitos nomes ficaram por ser ditos, isto porque existem muitos talentos a merecer destaque, ficaram aqui alguns deles, alguns que servem para demonstrar que o andebol feminino está vivo e que tem muita qualidade. Muito talento e muita perseverança, que nem a pandemia conseguiram travar.

Foi o início do andebol feminino aqui no Modalidades com voz e este texto fecha esta semana incrível, é uma tentativa de fechar colocando muitos do grandes nomes em destaque, tetando mostrar que existe muita qualidade e que só falta mais apoio e mais visibilidade.