Continuamos com a Liga Skoiy aqui no Modalidades com Voz, depois dos lançamentos feitos pelas jogadoras, tivemos 2 grandes jogos no domingo que aqui vamos falar e ainda lançar os duelos deste sábado dia 24.

 

Vitória SC 79 – 62 União Sportiva

Como lançado pela craque Raquel Laneiro (ver aqui), foi uma bela partida de basquetebol, duas equipas com estilos de jogo diferente tal como todas as nossas convidadas falaram. O Vitória começou melhor, com a Bárbara Sousa a ser o elemento em maior destaque nesse início de partida, foram 6 pontos seguidos para a Bárbara que entrou com tudo. Raquel Laneiro ia tentando assumir o jogo do Sportiva na busca pela resposta, mas o que ia fazendo a diferença neste começo de jogo era o tiro exterior do Vitória. A resposta como eu disse, foi da Raquel Laneiro, foi ela que guiou e deu “luz” ao jogo do Sportiva, além disso foi ela que marcou o triplo que ajudou a equipa a “acordar”. No Vitória destacar ainda a Mollenhauer, apesar de ter demorado para acertar os tiros, ela ia fazendo a diferença. A intensidade do Vitória ia fazendo a diferença, a entrada em jogo criou a ligeira vantagem e quem liderou mais uma vez o Sportiva foi a Raquel Laneiro. No 2º quarto o Sportiva entrou melhor, os tiros exteriores passaram a cair e isso aliado à entrada mais forte em jogo fez a diferença. Um parcial de 10-0 a fazer a diferença, com o trio Laneiro, Mazyck e Ana Ramos a serem os maiores destaques nesta altura da partida. Jogo grande como esperado, prova disso este equilibro e este quarto para cada uma das equipas. Luiana Luivolo marcou os primeiros pontos do Vitória no segundo quarto, fez a diferença no 1×1, numa tentativa da equipa de Guimarães reentrar no jogo. Perante as melhorias no lado do Vitória, Ricardo Botelho mudou e colocou a Vânia Sengo em jogo, jogadora mais forte que começou logo a fazer a diferença no jogo interior. No terceiro quarto nova mudança, novamente o Vitória a entrar melhor e muito pela entrada de Catarina Mateus, que mudou o jogo por completo. Seguiram-se vários erros do Sportiva, muitas precipitações no ataque e isso ajudou a que o Vitória conseguisse aumentar a vantagem. Laneiro foi descansar pela primeira vez neste jogo, cerca de 4 minutos para o fim do terceiro período e logo aqui se viu que a estrela das açorianas continuava condicionada. A equipa de Rui Costa estava mais confortável na partida, mais intensos, o equilíbrio continuava com o Sportiva a estar bem na defesa. No último período, Woolfolk ficou a receber assistência médica, entrou assim a Emília Ferreira, que se juntou à Laneiro e à Ana Ramos. No lado da equipa da casa, a Tatiane continuava em alta, uma eficácia acima de 70%. As açorianas estavam cada vez mais pressionadas, começavam a sentir dificuldades defensivas pelo jogo intenso que o Vitória fazia. Quando o Sportiva reagia sob a batuta da Raquel Laneiro, a base acaba por ter que sair para receber tratamento e já não voltou para os últimos 5 minutos. Ricardo Botelho em busca de algo mais aposta na defesa à zona e na Sofia Ferreira que se estreava assim no jogo. A verdade é que existia muito espaço para o Vitória nesta defesa à zona e a equipa da casa soube aproveitar muito bem. Sem Laneiro mais problemas no ataque, tanto a Sofia como a Inês Bettencourt e as outras sentiam mais problemas para organizar perante a pressão adversária.

Vitória incontestável da equipa de Guimarães. Rui Costa levou a melhor sobre Ricardo Botelho no primeiro duelo entre estas duas equipas.

Jogo muito intenso, muita qualidade, o Vitória SC com a Tatiane em grande destaque, do lado do Sportiva é chover no molhado, mas a muita qualidade da Laneiro e o que ela joga e faz a equipa jogar tem que ser sempre destacado. Sem Laneiro o jogo muda completamente e a equipa ressente-se muito mais da ausência da talentosíssima base. Grande duelo e jogo que nos deu um grande espetáculo!

Quinta dos Lombos 43 – 63 SL Benfica

O segundo jogo deste domingo, acabou por nos dar o jogo mais desequilibrado dos dois, muito longe do que se previa. Tanto a Sofia Ramalho (ver aqui) o jogo interior ia fazer a diferença e fez muito porque os Lombos estiveram longe na questão dos ressaltos. Alguns dos erros que a Carolina Cruz falou que não podiam ser cometidos acabaram por ser  (ouvir aqui) e isso fez toda a diferença.

Outro duelo que colocava frente a frente duas equipas com estilos diferentes. Para surpreender, Eugênio Rodrigues voltou a colocar Mariana Carvalho no 5, ela que tinha perdido o lugar nos últimos jogos para a Ana Barreto, mas que voltou e muito bem nesta partida.

Início em que as bolas demoraram para cair, mas jogo animado, com as duas equipas a procurar o tiro exterior. O Benfica teve o primeiro ascendente e muito pela qualidade da Altia, foi ela que assumiu o protagonismo nestes primeiros minutos. Altia a vencer os duelos com a Carolina Cruz e foi assim que as encarnadas iniciaram da melhor forma a partida. Nos Lombos, o que ia fazendo a maior diferença era, como sempre os ressaltos ofensivos, a luta das tabelas continuava a ser o ponto forte e que impedia que a desvantagem fosse maior. Os tiros exteriores não iam caindo para o lado dos Lombos e começaram a cair para o lado do Benfica. Joana Soeiro a assumir o jogo, a pensar o jogo e era ela que controlava as transições do lado do Benfica. No segundo período a Laura Ferreira começou em grande, as encarnadas tinham muito espaço e os Lombos iam cometendo muitos erros. Os bloqueios e o jogo interior nesta altura estavam a fazer a diferença para o lado das comandas por Eugênio Rodrigues. José Leite procurava todas as soluções, tentava tudo e uma das ideias passou por colocar  Inês Vieira a 3. A questão é que as jogadoras do Lombos estavam cabisbaixas e resignadas, iam acumulando erros que o Benfica ia sabendo aproveitar muito bem. No terceiro quarto, novamente o Benfica a entrar melhor, mais uma foram para cima da Carolina Cruz, abusavam no 1×1 com a poste dos Lombos que ia sentindo algumas dificuldades… Soeiro sempre impecável no jogo. A superioridade do Benfica era tanta que nem uma Japonica em menor rendimento afetava a equipa. Os níveis baixaram, os Lombos responderam e começaram a sua reaproximação. Um dos destaques como sempre, era Eugênio Rodrigues que nunca deixava que a equipa baixasse o ritmo, sempre a pedir mais e sempre em cima das suas jogadoras. Os Lombos foram baixando a desvantagem, chegaram a estar a perder por menos de 20 pontos. Nesta recuperação estava a Raphaella em destaque, mas também a Carolina Cruz que mesmo com algumas dificuldades nunca desistiu e estava em destaque com as recuperações que ia fazendo. Já estávamos no último quarto, a vantagem continuava muito confortável para o Benfica, mas os Lombos iam dar tudo até ao final. Rapha, Jade e Cruz iam estando em maior evidência nesta melhoria dos Lombos. A equipa da Luz tinha perdido alguma agressividade, já não defendiam a campo todo e isso estava a fazer a diferença. Lombos chegam a uma desvantagem de 14 pontos, parecia que ia ser uma recuperação épica, mas aí a Raphaella Monteiro acaba excluída por faltas e isso abalou a equipa de José Leita. Voltou Joana Soeiro a brilhar, a pegar no jogo do Benfica e a acalmar assim o jogo. Foram 25 turnovers para os Lombos, 25% de eficácia nos lançamentos e um ogo bem abaixo do que por norma esta equipa apresenta.

Vitória mais que tranquila do Benfica, jogo de muita qualidade e mais uma vez demonstração de força desta equipa que está muito bem orientada e trabalhada por Eugênio Rodrigues.

Neste sábado, dia 24 de Abril vamos ter dois jogos:

  • SL Benfica vs Quinta dos Lombos pelas 11h00

 

  • União Sportiva vs Vitória SC pelas 16h00

 

Se for o caso e esperemos que assim seja, no domingo o SL Benfica recebe o Quinta dos Lombos pelas 14h30 e o União Sportiva recebe o Vitória SC pelas 16h00.

 

Sejam dois ou quatro jogos, vamos ter jogos diferentes do que tivemos na semana passada, mais equilíbrio, outras nuances táticas e sem dúvida nenhuma que não nos vai faltar bom basquetebol. Todos os motivos para que não se perca nenhum destes jogos.