Irá o Leão voltar a rugir mais alto?

Chegou o momento pelo qual todos os que amam futsal esperavam. Hoje, dia 9 de outubro vamos ter o início da nova época da Liga Placard. Aqui no Modalidades com Voz não podíamos deixar passar e, por isso mesmo, trazemos um guia das equipas que podem vir a estar na discussão dos primeiros lugares nesta nova temporada. Juntem-se a nós para mais uma temporada.

O duo de favoritos

Mesmo com uma aproximação do Braga, continuam a ser os rivais de Lisboa os maiores favoritos à conquista da Liga Placard. Algumas mexidas, mas dois plantéis absolutamente incríveis, mas um deles com muito para mostrar.

Sporting CP

Olhos no bicampeonato

Depois de uma época que arrancou com muitas dúvidas e onde os leões terminaram a vencer tudo e a fazer história, a equipa de Nuno Dias parte para esta nova temporada com algumas mudanças, mas com um núcleo duro muito rotinado, além de jovens que vão estando cada vez mais em evidência e que já não precisam de mostrar nada. Um dos desafios vai ser perceber em que condições físicas chegam os jogadores que estiveram no Mundial e como se vão adaptar algumas das caras novas. Um Sporting que mantém a base de todo o sucesso, a começar na peça mais importante: Nuno Dias.

  • Entradas:

Caio Ruiz, Waltinho e Miguel Ângelo

Entradas que implicam algumas mudanças, isto porque falamos de jogadores em períodos de afirmação diferentes dos que saíram e ainda um ajuste no que toca à ação ofensiva da equipa, uma vez que Waltinho tem características diferentes de Rocha, além de ainda se encontrar a recuperar de lesão.

  • Saídas:

Taynan, Rocha, Hugo Neves, Diogo Santos e Mamadú Ture

Taynan, tal como se viu no Mundial, é a saída mais complicada de colmatar, um jogador que tinha um peso enorme na equipa e que será a baixa de maior peso para os comandados de Nuno Dias. Rocha também o é, mas a verdade é que com a entrada de Waltinho a equipa do Sporting consegue tapar bem o buraco desta saída. Em relação aos mais jovens, são saídas naturais de jogadores com imenso potencial e que precisam muito de jogar e de se afirmar ao mais alto nível.

SL Benfica

Fé em Pulpis

Os encarnados chegam a esta época depois de muitas mudanças, a começar na equipa técnica que é totalmente nova, mas falamos de uma equipa que consegue reforçar uma das posições mais deficitárias e que aposta em jovens com muito potencial. Muitas dúvidas para esta nova vida da formação da Luz, que mesmo assim conseguiu manter a maioria das peças, que em muitos casos podem subir de rendimento porque encaixam mais na ideia de Pulpis, além do acréscimo da aposta em alguns jovens que com o novo timoneiro podem dar novo sangue à equipa do Benfica.

  • Entradas:

Rômulo, Bruno Cintra e Carlos Monteiro

Nas entradas, um jogador muito experiente e que chega para colmatar aquela que era uma das posições onde o Benfica apresentava maiores problemas, além disso chega com muito futsal nas pernas, um fixo de muita qualidade e a única questão que se coloca é a nível físico, porque Rômulo tem sofrido de alguns problemas nos últimos anos. Bruno Cintra, que já se lesionou na pré-época, chegava para colmatar a saída de Tiago Brito, um jogador que conhece o campeonato, que apresenta qualidades que Pulpis aprecia muito, tais como a muita qualidade de passe, mas também ele um jogador com um histórico de muitas lesões. Por fim, Carlos Monteiro, uma das maiores promessas do futsal nacional, ele que já se percebeu vai ser uma das peças em quem Pulpis mais vai confiar, a qualidade está lá e o novo treinador além de fá do jovem jogador, já mostrou que acredita muito nele. Por incrível que pareça, também Carlos está a contas com uma lesão desde setembro.

  • Saídas:

Fábio Cecílio e Tiago Brito

Duas peças importantes na equipa do Benfica, dois jogadores que regressam a Braga e logo com o título Mundial no bolso. No geral, uma dupla que garantia muito à equipa do Benfica e que deixa a Pulpis uma dura tarefa de conseguir substituir estes dois elementos que além da qualidade desempenhavam vários papéis importantes no conjunto encarnado.

Minhotos atrás, mas cada vez mais perto

Braga

Será que o investimento histórico chega?

Esta é a grande questão que se coloca à equipa de Braga nesta temporada. Depois de uma época abaixo do esperado, a equipa minhota investiu como nunca em busca de conseguir dar mais luta aos rivais de Lisboa. Bruno Guimarães continua ao comando dos guerreiros do Minho, este ano com um acréscimo de responsabilidade e com olhos postos nos primeiros lugares. Regressos a Braga, caras conhecidas da Liga Placard e reforços internacionais, esta equipa que já tinha nomes importantes e de muito valor, conseguiu em teoria dar um salto qualitativo grande, mas a questão continua a mesma, será que este investimento histórico chega?

  • Entradas:

Pola, Elisandro, Tiago Brito, Ruben Santos e Fábio Cecílio

Nomes conhecidos, falamos dos regressos de Tiago Brito e Fábio Cecílio a Braga, ainda Elisandro que depois de 4 épocas com passagens por Espanha e Itália, regressa a Portugal para ajudar e voltar a mostrar o nível que apresentou no Benfica. Depois, Ruben Santos, um ala que chega do Quinta dos Lombos depois de mais uma época onde mostrou que merecia este salto. Agora, o reforço “bomba” para a Liga Placard, falamos claro de Pola, ele que era uma referência no Inter Movistar, é um nome incontornável no futsal espanhol e chega a Braga com um palmarés que inclui todos os troféus em Espanha, duas Uefa Futsal Champions League e ainda um Europeu ao serviço da seleção do país vizinho, chega claro para fazer a diferença e elevar ainda mais este Braga e fazer com que os bracarenses consigam discutir o primeiro lugar.

  • Saídas:

Bruno Cintra, Miguel Ângelo, Nicòlas Lachaga, Hebbert Bolt, Samuel Marques, Cássio e Fábio Neves

Nas saídas, a equipa de Braga perdeu algumas peças importantes, como o caso de Bruno Cintra, mas a verdade é que os bracarenses em cada uma das trocas consegue elevar a qualidade do plantel, mesmo perdendo Fábio Neves, que seria uma aposta para o futuro, a equipa consegue trocar peças importantes na equipa por jogadores de tanto ou mais valor, um claro upgrade na equipa de Bruno Guimarães.

Quem pode surpreender?

AD Fundão

Beirões em busca de repetir a história

Depois de uma época onde a equipa de Nuno Couto conseguiu um lugar inédito (3º), a grande questão que se pode colocar é de até onde este Fundão pode ir e se vai conseguir repetir tal feito alcançado na época passada. Olhamos para uma equipa que sofreu algumas alterações, jogadores que foram fundamentais e que acabaram por sair, mas a verdade é que o Fundão se reforça muito bem e olhamos para uma equipa que vai mais uma vez lutar pelos primeiros lugares. Com Mário Freitas na liderança e como uma das estrelas da Liga Placard, falamos ainda de uma equipa que consegue manter nomes importantes, como Peléh ou Luan Muller, por isso todos os ingredientes para a equipa do Fundão voltar a ser um dos destaques maiores da Liga Placard.

  • Entradas:

Paulo Pereira, Rui Moreira, Guilherme Duarte, Kutchy, Thalles, Iury Bahia e Bebé

Aposta mais uma vez em jovens com muito potencial como Rui Moreira, que chega para assumir a posição de fixo herdada de Guilherme Meira, ele que foi um dos destaques da última temporada na Liga Placard. No que toca aos alas, eles que oferecem diferentes “coisas” ao jogo, desde os mais velozes aos mais tecnicistas, desde os que conseguem ser importantes na defesa, até aos que podem ter um papel importante nos golos da equipa, Kutchy, Thalles, Iury e Bebé são esses jogadores e estaremos a falar de jogadores que se vão evidenciar muito ao comando de Nuno Couto.

  • Saídas:

Jair Pereira, Pedro Senra, Costinha e Guilherme Meira

Nos jogadores que deixaram o Fundão, o nome que salta mais à vista é o de Guilherme Meira, mas a verdade é que Senra e Jair foram jogadores muito utilizados e peças importantes na rotação dos Beirões, por isso mesmo podemos perceber o porquê de tantas entradas, mesmo entrando jogadores de outras características, a equipa do Fundão conseguiu colmatar muito bem as saídas de peças importantes.

CRC Quinta Dos Lombos

Lombos ainda mais ambiciosos

Muitas mudanças no Quinta dos Lombos e não poderia ser diferente, falamos de uma equipa que desiludiu bastante na última temporada e que por isso mesmo decidiu mudar muito, reforçar de forma diferente o plantel e tentar garantir assim uma época nos lugares cimeiros. Olhando para este conjunto orientado por Jorge Monteiro, podemos perceber que as lacunas que esta equipa demonstrou o ano passado foram bem analisadas. Conseguem manter peças importantes, como Gonçalo Sobral, que é um elemento nuclear nesta equipa e depois todos os reforços permitem que os Lombos consigam dar um salto de qualidade no plantel. Vão certamente animar e lutar pelos primeiros lugares.

  • Entradas:

Schutt, Graciano Cruz, Kaka, Rodriguinho, Tomás Reis, Henrique Vicente e Willian Carioca

Schutt chega para ocupar a baliza, um guardião brasileiro jovem, mas com passagem pelo Corinthians, onde demonstrou muito potencial. Depois, falamos de alas que trazem qualidade e experiência à equipa, como são os casos de Rodriguinho e Kaka, mesmo com o segundo a ser mais jovem, é um jogador que aos 26 anos já tem muito futsal nas pernas. A estas ainda acresce as entradas de Henrique Vicente e Tomás Reis, dois alas que se destacaram no Elétrico e nos Leões de Porto Salvo, respetivamente, dois jovens com muito potencial e que podem crescer muito mais nesta equipa. Por fim, Willian Carioca, foi troca por troca com Ludgero, assim os Lombos ganham um pivô mais experiente e diferente de Ludgero. Muita qualidade nestas entradas, potencial e prova de como os Lombos querem muito mais nesta temporada.

  • Saídas:

Paulo Pereira, Zé Pedro, Ivo Oliveira, Ilídio Pina, Ruben Santos, Bruno Vicente e Ludgero

Muitas saídas que são naturais, o desempenho não foi o esperado e por isso mesmo uma busca por alterar a forma de jogar e aposta em valores de características diferentes. Os Lombos conseguem em teoria melhorar, trocando assim estilos de jogadores e apostando em atletas mais experientes e com mais provas dadas.

AD Modicus

Continuidade é a chave do sucesso

Vamos até Gaia para falar do Modicus, uma equipa forte e que aposta na continuidade. Foram poucas as entradas e em todas elas se percebe que foram escolhidas de forma cirúrgica e meticulosa. Todas as entradas são de qualidade e foram de forma a serem verdadeiras melhorias numa equipa que já tem um processo consolidado e uma forma de jogar que lhes garante esta segurança e capacidade para dar luta às melhores equipas. Por isso, falamos de uma equipa que mantém uma das maiores estrelas da Liga Placard, Fábio Lima, conseguindo assim manter a base do sucesso da época anterior.

  • Entradas:

Gerson Pinho, Pedrinho e Ludgero

Apenas três entradas. Nos casos de Gerson e Pedrinho, são regressos a uma casa que já bem conhecem, além disso são jogadores que dão garantias e que chegam com provas dadas. Gerson chega para discutir a baliza com Rui Pedro – que se encontra a contas com uma lesão -e Pedrinho chega para render Cigano, uma das saídas da equipa de Sandim. Por fim, Ludgero, troca por troca com Carioca, um passo importante para o jovem pivô que entra numa equipa onde pode mostrar toda a qualidade que sabemos que ele tem e num estilo de jogo que o beneficia bastante. Poucas entradas na equipa de Ricardo Ferreira, mas todas elas certeiras.

  • Saídas:

Trapa, Zezinho, Cigano e Willian Carioca

Temos aqui poucas saídas. A equipa do Modicus conseguiu manter as peças quase todas mesmo com o muito assédio que os seus elementos mais importantes sofreram, além disso as saídas foram todas bem colmatadas, jogadores que conhecem a casa, que conhecem a forma de jogar de Ricardo Ferreira e no caso de Ludgero alguém capaz de dar ao jogo do Modicus vários aspetos que Willian Carioca não conseguia.

Leões de Porto Salvo

Reforçar a pensar mais acima

Os Leões ficaram em quarto o ano passado e conseguiram fazer um mercado de transferências quase irrepreensível, isto porque a equipa de Porto Salvo não perdeu nenhuma das peças mais importantes, conseguiu manter todos os titulares e ainda assim se reforçou de forma a conseguir melhorar a classificação da época passada. A equipa de Ricardo Lobão mantém jogadores como Bebé, Diogo Santos, Ré, Wesley, Papa Unjanque e André Galvão, tudo peças fulcrais e que vão voltar a ser dos melhores jogadores na Liga Placard.

  • Entradas:

Claúdio Marques, Gerson, Kris e Ilídio Pina

Entradas que permitem expandir a rotação da equipa, jogadores mais jovens, com muito potencial e que podem dar à equipa dos Leões opções que alguns dos atletas mais experientes não conseguem. Sendo uma equipa que consegue manter os titulares, é muito importante reforçar desta forma as opções ao dispor de Ricardo Lobão que assim ataca a época com uma equipa ainda mais profunda e jogadores com características diferentes do que aqueles que já tinha no seu grupo.

  • Saídas:

Bruno Marques e Tomás Reis

Duas saídas que foram claramente colmatadas e que não causam impacto, apesar da troca por jogadores diferentes, a equipa dos Leões consegue melhorar o seu plantel e não sentir problemas com a saída de elementos como no caso do Tomás, que eram opções de valor para a rotação da equipa de Porto Salvo.

Viseu 2001

Sonhar mais alto

Para a nossa penúltima equipa deste nosso guia, vamos falar do Viseu 2001, que na época transata conseguiu um sexto lugar e que este ano aposta na continuidade. Algumas caras novas, mas uma equipa que se mantém sempre estável, que continua fiel ao seu estilo e que além disso não muda de treinador – Paulo Fernandes continua ao leme dos viseenses que este ano redobram as ambições e que sonham com um lugar ainda mais cimeiro na Liga Placard, sempre com uma aposta sustentável e sem abdicarem dos princípios do projeto que os levou até ao sexto lugar. Viseu que consegue manter jogadores como Lukinhas, Rafa Stocker e Kiko peças basilares para o sucesso deste conjunto.

  • Entradas:

Thiago Soares, Marcelo Ferreira, Ciro, Douglas Moraes, Digão, Pelé e Mamadú Ture.

Tudo entradas importantes, jogadores em alguns casos diferentes dos que haviam sido os titulares na equipa de Viseu, mas, na maioria dos casos, com muita experiência. Jogadores com provas dadas como são os casos de Ciro, Digão ou mesmo de Thiago Soares, mas também surge a aposta em jogadores como Mamadu que é um jovem que em Viseu pode mostrar muito da qualidade que lhe é reconhecida, por isso mesmo é evidente que existem trocas importantes, mas o Viseu volta a mostrar grande acerto no mercado.

  • Saídas:

Bruno Filipe, Ginhu, Caio Santos, Lucas Otanha, Russo, Matheusinho, Ezequiel Reis e Lucas Amparo.

Saídas importantes, a começar pela baliza onde Bruno Filipe se revelou uma das peças mais imprescindíveis para Paulo Fernandes. Depois Russo, outro dos nomes que mais rendeu e que mais peso teve na equipa, por isso mesmo difíceis de substituir, mas que o Viseu consegue em teoria “trocar” da melhor forma, mesmo implicando uma mudança na forma de jogar, isto porque nas caras novas vemos jogadores com características distintas do que estes que deixaram a equipa de Viseu.

Portimonense

Experiência e diamantes por lapidar

Para terminar este nosso guia, vamos até Portimão para falar de uma equipa que mantém a aposta em jogadores experientes, mesclando com alguns diamantes já conhecidos da Liga Placard e que se espera que rendam ainda mais. Algumas saídas importantes, mas a formação da Praia da Rocha mantém Pedro Moreira à frente do leme, consegue ir buscar nomes fortes e ainda conseguiu manter jogadores como Miranda ou Júnior, eles que se revelaram duas das maiores figuras da última edição da Liga Placard. Por tudo isto e depois do oitavo lugar, podemos esperar uma equipa algarvia ainda mais forte e a lutar ainda mais pelos lugares cimeiros da tabela.

  • Entradas:

Gian Wolverine, Renan Fuzo, Osvaldo Moreno, Pedro Silva e Dudi.

Nas entradas o grande destaque é obviamente Wolverine, internacional canarinho e um nome sonante que de forma surpreendente aterrou em Portimão, mas que confirma o investimento desta equipa e a aposta em melhorar o lugar na classificação na época passada. Depois, Fuzo foi uma das figuras do Elétrico na temporada transata, um jogador experiente e mais do que adaptado ao futsal nacional. Dudi, um ala que pode jogar na frente, que chega para fazer um papel algo semelhante ao de Júnior. Aqui, com todas as entradas, percebemos a continuidade na preferência por jogadores feitos, experientes e com provas dadas, atletas assim muito importantes para que elementos como Miranda consigam continuar a evoluir.

  • Saídas:

Moreira, Paulinho, Caio Ruiz, Divanei, Caio Ruiz e João Vigário

Nas saídas, tivemos Caio Ruiz que deu o salto para um dos grandes do futsal nacional e ainda de Paulinho e Divanei como destaques, eles que eram os ‘pais’ desta formação, mas que foram substituídos por jogadores igualmente experientes e que trazem outras habilidades à equipa de Portimão. Algumas dúvidas para ver como algumas das caras novas vão render, mas a verdade é que as saídas foram colmatadas com jogadores de muito valor e capacidade.

 

Terminamos, assim, o nosso guia com análise às equipas que vão estar na luta pelos primeiros lugares de uma Liga Placard que se prevê mais competitiva que nunca! Tudo motivos para não perder nada deste campeonato apaixonante.

Este artigo foi escrito a quatro mãos, pela Maria Pinto Jorge e o José Andrade.

2021-10-09T09:56:01+00:00

About the Author:

Deixe o seu comentário

Go to Top